Entendendo a centralidade dos festivais para o desenvolvimento de políticas estratégicas para a produção, circulação, formação e difusão cultural, os Laboratórios Culturais apresentam a “Cartografia dos festivais de artes cênicas do Ceará” como uma contribuição à pesquisa e construção de indicadores culturais, através de um estudo que originará uma publicação editorial contendo os impactos e resultados dos festivais para o campo cultural no Estado.

Os festivais, por sua transversalidade, capilaridade e repercussão, vêm extrapolando seu papel no campo cultural, indo além da promoção de mostras, seminários e atividades de formação artística e de plateia para se assumir enquanto eixo fundamental de fortalecimento da economia criativa, de sustentabilidade da cadeia produtiva da cultura, de geração de emprego e renda e de valorização das expressões simbólicas em suas diferentes esferas – local, regional e nacional.

É por essa dimensão que o setor dos festivais de teatro no Brasil vem passando por transformações que visam à qualificação de suas ações, melhoria dos serviços prestados e um alcance de público mais amplo, superando as barreiras impostas pelas políticas de fomento vigentes hoje no país, ainda insuficientes para abarcar a diversidade e o potencial desse segmento artístico.

Somando forças para superar o desafio do desenvolvimento setorial, a profissionalização da gestão dos festivais e a consolidação de políticas mais sólidas para o setor, uma série de ações passaram a ser desenvolvidas desde 2012, através da realização do primeiro encontro do Núcleo de Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil que, durante a 18ª Edição do Janeiro de Grandes Espetáculos – Recife, elaborou a “Carta do Recife” para envio a várias instâncias do poder público, traçando algumas diretrizes e expondo a urgente necessidade de criação de políticas públicas para os Festivais.

Como consequência dessa movimentação e organização dos festivais de teatro, em 2013, durante o Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga, surgiu a Rede de Festivais de Teatro do Nordeste, reunindo mais de 15 festivais de 6 estados. Já no âmbito estadual, foi realizado, em 2014, o primeiro Seminário de Realizadores de Festivais de Teatro do Ceará que resultou na publicação de um catálogo de

Festivais de Teatro do Ceará, organizado pela Companhia Prisma de Artes e o Pavilhão da Magnólia com o objetivo de dar unidade e reforçar as identidades e conceitos dos festivais do Estado.

Ainda em 2015, um grupo de diretores, idealizadores e realizadores de festivais desenvolveu encontros sistemáticos para o levantamento de indicadores de impactos sociais, econômicos e formativos dos festivais em âmbito brasileiro. Essa movimentação culminou na realização do “I Encontro Internacional de Políticas de Fomento e Sustentabilidade para Festivais de Teatro”, ocorrido entre os dias 6 e 8 de novembro de 2015, em Fortaleza, e organizado pela Quitanda das Artes – Agência e produtora cultural, em parceria com o Ministério da Cultura. O objetivo era consolidar informações essenciais para o planejamento e controle dos processos gerenciais, monitoramento dos objetivos e metas estratégicas e acompanhamento de resultados/impactos dos festivais.

Foi após essa experiência de repercussão nacional que surgiu a proposta de realizar, como ação integrante do Laboratório de Produção, uma pesquisa cartográfica dos festivais de artes cênicas do Ceará e a conseqüente publicação de um livro que abordasse não só o histórico e os impactos culturais desses festivais para o Estado, mas o contexto social no qual estão inseridos, os resultados econômicos para a cadeia produtiva e novas oportunidades para potencialização do setor e dos grupos e artistas que o integram.

A Cartografia dos festivais de artes cênicas se apresenta, assim, como um estudo fundamental para o fortalecimento do teatro, da dança e do circo no Ceará, servindo como norteador para o fomento, gestão e sustentabilidade dos festivais do estado, de forma que consigam estruturar uma política sistêmica para promoção do desenvolvimento social e econômico por meio da cultura.

Realizada pela Quitanda das Artes, o Instituto BR Arte e os Laboratórios culturais, em parceria com a Cia. Prisma de Artes e o grupo Pavilhão da Magnólia, o estudo cartográfico será construído a partir de três eixos centrais: Aplicação da metodologia e construção de indicadores; Entrevistas e nivelamento das informações; Consolidação de resultados e lançamento da publicação.

 

Eixo 1

Metodologia e construção de indicadores: Neste eixo, será aplicado o método cartográfico para direcionar a construção de indicadores relacionados aos festivais que integram a pesquisa, sob aspectos econômicos, formativos, artísticos e comunicacionais. Vale ressaltar que a cartografia considera, aqui, aspectos socioeconômicos e os agentes que atuam no cenário das artes cênicas, indo além da descrição do campo e de suas ações. Para dar início à composição desses indicadores, um representante de cada Festival do Estado responderá a um formulário que contempla aspectos conceituais, orçamentários e de programação, buscando traçar um perfil das ações e de seus impactos para a população. Essa etapa prevê uma análise inicial do panorama cênico no Ceará, realizando alguns apontamentos quanto à produção, infraestrutura, difusão, formação, movimentação econômica, geração de emprego e renda, dentre outros aspectos.

 

Eixo 2

Entrevistas e nivelamento de informações: O terceiro eixo da publicação contempla as entrevistas que serão realizadas junto a diretores, idealizadores e realizadores de festivais de artes cênicas no Estado, visando a construção de um histórico desse segmento no Ceará. Junto à análise inicial da pesquisa, as entrevistas e dados obtidos de cada Festival passarão por uma etapa de nivelamento e sistematização das informações, através do “I Encontro de Festivais de Artes cênicas do Ceará: Organização, Gestão e Indicadores”, a realizar-se em junho de 2016. Neste encontro, serão construídas metas para essa rede de festivais, além de divisão de grupos de trabalho, construção de agendas, validação dos dados e elaboração de documento-base sobre modelos de sustentabilidade, gestão e financiamento dos festivais, tema abordado no último capítulo do livro.

 

Eixo 3

Resultados/impactos e Seminário de lançamento: Já o último eixo será marcado pelo “II Encontro Rede de Festivais de Artes cênicas do Ceará: Políticas de Fomento e Sustentabilidade”, onde o documento-base elaborado no I Encontro será apresentado a agentes das esferas pública e privada, visando realizar um debate e definição de estratégias para fomento e sustentabilidade dos festivais. Essas demandas servirão como para direcionar a elaboração de políticas públicas e programas de fomento mais assertivos e condizentes com as demandas expostas pelos representantes dos Festivais, fazendo confluir a ação do poder público com as necessidades de planejamento, gestão e controle dos realizadores de festivais.

 

Objetivos

Geral

Realizar um estudo cartográfico dos festivais de artes cênicas no Ceará, estruturando uma base de dados que sirva à consolidação de políticas públicas mais assertivas para esse segmento, culminando na elaboração de um livro que será publicado ao final das etapas do projeto (pesquisa, construção de indicadores, encontros de nivelamento), de forma a servir como um termômetro do campo cênico no Estado e a orientar seus agentes para a valorização, potencialização e desenvolvimento dos festivais e das produções artísticas cearenses.

 

Objetivos

· Realizar um levantamento de todos os festivais de artes cênicas realizados no Estado, buscando a adesão de seus diretores/idealizadores para participação na pesquisa;

· Compor uma rede e promover encontros para compartilhar reflexões entre os diretores de festivais, visando a ampliação da discussão, composição de grupos de trabalho, nivelamento de informações, construção de indicadores, aperfeiçoamento de dados, criação de metas, elaboração de políticas para desenvolvimento, etc.;

· Organizar e propor uma agenda junto a órgãos públicos de cultura, secretarias estaduais e municipais, para realização de ciclos de reflexão e formação em torno do tema das políticas públicas para as artes cênicas, alinhado com a IV Conferência Nacional de Cultura;

· Construir indicadores culturais que permitam mensurar o desempenho e impactos dos festivais na economia e no desenvolvimento socioeconômico do estado;

· Levantar as potencialidades dos festivais, ampliando suas capacidades de desenvolvimento, monitoramento e intervenção na sociedade, de modo a construir políticas mais eficazes para o setor;

· Compor e fortalecer uma rede colaborativa entre os agentes atuantes nos festivais, de modo a tornar a execução das ações mais estratégicas para a promoção do desenvolvimento cultural, social e econômico;

· Propor um conjunto de ações com vistas no fortalecimento das Relações Federativas e na busca de formular políticas e ações conjuntas para as artes cênicas e cultura;

· Traçar um panorama das ações de cada festival, sob as perspectivas de formação, valorização de artistas locais, intercâmbios culturais, dentre outros;

· Produzir 1.000 exemplares da publicação que condensará todo o processo de pesquisa, indicadores e resultados obtidos por meio do estudo cartográfico.